Connect with us

Politica

Administração de Viana gasta 35 milhões em terraplanagem paliativa de 4 quilómetros

Published

on

A Administração Municipal de Viana investiu 35. 227.720, 00 de kwanzas para terraplanar paliativamente um troço de 4.32 KM, no Bairro do Chimuco, Distrito da Estalagem. O referido troço mereceu a visita do administrador Manuel Pimentel, que aproveitou também a ocasião para auscultar a população local.

Os referidos valores, segundo Manuel Pimentel, foram retidos dos fundos que a própria administração municipal arrecada das várias actividades económicas que Viana desenvolve. o governante disse à imprensa que o troço de via terraplanado era intransitável.

“A intensão era ligar o trânsito da via principal a um centro materno infantil de referência. A nossa preocupação é ligar os equipamentos sociais, como é aquele que mostramos. o que é certo, está ai um bem, a população está feliz”, disse, prometendo para breve uma intervenção na referida zona para contemplar a via com iluminação pública.

Manuel Pimentel esclareceu ainda que o valor investido na empreitada foi recurso próprio da administração. Apesar de não especificar o valor global, o administrador referiu que 70% daquilo que arrecadam, é encaminhado para equipamentos sociais nos vários domínios da vida pública.

Entretanto, os munícipes que residem naquela zona do distrito da Estalagem mostram-se cépticos em relação aos valores investido, como é o caso do jovem Elias Calandula, residente há seis anos na referida rua.

O mesmo entende que a terceira rua dos seis imbondeiros é que devia merecer uma intervenção pelo facto de ter nascido uma ravina provocada pelas águas da chuva. “Por nós, como moradores de cá tinha que se intervir na terceira rua, que está pior, aí não passa carro, ao em vez de mexer aqui. Ai não passa carro, por causa da ravina. Há casas que estão a ser danificadas”, lamenta.

Outra reclamação deste morador, é a deficiência no fornecimento da energia eléctrica, por isso, querem melhorias, para acabar com os constantes cortes no fornecimento.
Alberto dos Santos, morador da segunda rua do seis há nove anos, reconheceu que o trabalho feito pela Administração municipal de Viana, mas mostra-se igualmente céptico.

“Com essa terraplanagem minimizou, mas não é isso que queremos. O que nós queremos é muito mais ainda, porque esta terraplanagem, quando cair uma boa chuva não sabemos se vai permanecer ou vai acabar de se deteriorar”, disse almejando um tapete asfáltico na via.

A rua intervencionada liga o hospital materno-infantil do bairro do seis imbondeiros ao aterro sanitário dos Mulenvos.

Continue Reading
2 Comments

2 Comments

  1. Mutombo Francisco

    22/11/2021 at 8:49 pm

    Correio da Luanda, retifique este artigo contém muitos erros. Quanto a Administração, a rua já se encontra danificada antes das chuvas.

  2. Danguelenguendja

    23/11/2021 at 10:29 am

    como e’ possivel fazer-se uma terraplanagem sem esgotos nem valas. ate quando e’ o Angolano vai aprender a fazer servicos como se deve. Tantam palhacada estamos fartos…

Leave a Reply

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Advertisement

Colunistas

Daniel Sapateiro
Daniel Sapateiro (25)

Economista e Docente Universitário

Ladislau Neves Francisco
Ladislau Neves Francisco (27)

Politólogo - Comunicólogo - Msc. Finanças

Olivio N'kilumbo
Olivio N'kilumbo (21)

Politólogo

Vasco da Gama
Vasco da Gama (91)

Jornalista

Walter Ferreira
Walter Ferreira (22)

Coordenador da Plataforma Juvenil para a Cidadania