Connect with us

Politica

Adalberto Costa Junior qualifica entrevista colectiva de João Lorenço de vergonhosa

Em quase todo seu discurso proferido hoje, numa réplica a entrevista concedida nesta quinta-feira pelo Presidente da República, João Lourenço, á quatro órgãos de comunicação Social Nacionais e um internacional, Adalberto Costa Junior, Presidente da UNITA, usou a palavra “vergonhosa”, para qualificar o formato da entrevista colectiva do seu principal adversario, nesta quinta-feira.

Published

on

O Presidente da UNITA juntou na manhã desta sexta-feira, 7, Jornalistas, membros e militantes do seu Partido, para proferir um discurso a Nacão, no complexo da Sovismo, em Viana.

No seu discurso , Costa junior, começou por reconhecer o ano de 2021 como tendo sido um ano difícil, agravada com a situacão do desemprego, da pobreza e da fome em várias comunidades do País.

” Há hoje, em múltiplas províncias, Angolanos a morrerem a fome. É inadmissível, e exige respostas de emergências do nosso Governo. Apelou!

Mais avante, Adalberto Costa fez duras críticas ao Presidente da República e aos vários orgãos do Estado, com realce para o Tribunal Constitucional, a quem se referiu, como tendo sido um órgão que mais se dedicou a interferir na vida do Partido pelo qual é Presidente, por orientacão do Partido no Poder.

” Ao Tribunal Constitucional, não compete escolher as lideranças dos Partidos Políticos. A lei diz que, compete ao Tribunal Constitucional, anotar os congressos dos Partidos e não mais. E neste campo de interferências, o mau exemplo vem infelizmente de cima, o Senhor Presidente da República não deixou dúvidas a ninguém, quando em cerimónia de posse do Conselho da República, proferiu a afirmação que não lhe fica nada bem, e que prova a interferência na autonomia dos Partidos. Disse!

Ao referir-se ao tempo de antena dada a entrevista colectiva com o Presidente João Lourenço, Adalberto Costa Junior lamentou pelo facto, no seu entender, da imprensa pública ter sido transformada em competidores dos Partidos da oposicão, o que para si, considera representar uma flagrante violacão da constituicão da República.

“Ontem fomos brindados com uma demostracão do quanto o Estado de Direito está pisoteado e violado; O país acompanhou uma entrevista anormal, que viola os termos da concorrência, da ética, e até do bom senso, ao serem escolhidos alguns orgãos, excluídos outros, obrigados a enviar com antecipacão as perguntas, numa demostracão de pura debilidade e o País ser obrigado a assistir horas e horas de retransmissão das peças editadas, frisou, acrescentando, que o formato assistido nesta quinta-feira, foi um espetáculo triste, que em democracia, jamais se deveria permitir que ocorresse.

” Estas são práticas de regimes comunistas e de inspiração ditatorial. Estas práticas, servem para perseguir e combater adversários políticos ou opositores, nos seus próprios Partidos. Considerou, líder da UNITA.