Connect with us

Politica

Adalberto Costa Júnior pede reconciliação com vítimas das atrocidades da UNITA

Published

on

O presidente da UNITA Adalberto Costa Júnior disse que deve haver uma reconciliação interna dentro do seu partido para se colmatar as injustiças cometidas contra aqueles que foram vítimas de “um período negativo” dentro da organização.

O presidente do Galo Negro disse no Sumbe que a trajectória da UNITA não foi só de vitórias mas também de derrotas.

“As derrotas dão-nos a possibilidade da regeneração, do aprender e não voltar a repetir o erro”, disse Adalberto Costa Júnior para quem “os percursos negativos” do partido devem “ser assumidos com muita tranquilidade e com coragem”.

“Essa reconciliação interna (é) necessária com quem ao longo deste percurso foi penalizado pela própria causa e pela luta, este é um propósito absolutamente nosso e, permanente”, acrescentou afirmando que os valores pelos quais foi criada a UNITA “são os valores vencedores hoje, são aqueles que imperam hoje no nosso país”.

A este respeito o presidente da UNITA disse que a democracia em Angola foi fruto da luta da UNITA.

“O multipartidarismo foi fruto da luta da UNITA …Afinal, democracia, liberdade, multipartidarismo, defesa da soberania, foram os nossos valores de sempre. Unidade nacional, respeito pelo outro, nós somos todos ganhadores”, disse.

O presidente da UNITA defendeu a construção de estátuas de Jonas Savimbi e Holder Roberto em Luanda

“Afinal lutamos contra o colono, fomos partícipes e, a estátua do doutor Savimbi e do Holden Roberto, ainda faltam alí na praça Primeiro de Maio. Se o MPLA não o fará, nós vamos fazer”, disse

 

C/ VOA

Continue Reading
1 Comment

1 Comment

  1. José Luís Mendonça

    20/03/2020 at 9:16 pm

    Os crimes contra a Humanidade cometidos na Jamba ou em Luanda não são assuntos internos de nenhum partido. São assuntos de alto interesse nacional, de todo o povo angolano e Dev merecer o tratamento adequado:
    1. Confissão dos crimes;
    2. Pedido de perdão;
    3. Tudo isso em fórum público.

Leave a Reply

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *