Connect with us

Opinião

A campanha já começou?!

Por: Osvaldo Mboco

Published

on

O ambiente  que gravita sobre a atmosfera política de Angola indica para o início de uma preparação da corrida eleitoral devido aos acontecimentos que marcaram os últimos dias no país, dominados  por  demonstração de força e poder entre os dois maiores partidos políticos,  no que concerne  às marchas de apoio, actos políticos de massas e afixação de bandeiras nas principais vias da cidade de Luanda, sendo uma realidade extensiva às demais províncias.

Entre bandeiras a bandeiras, levanta-se a questão que dá título a este artigo “A Campanha já começou?!”. E a resposta é de fácil interpretação,  pelo que nos  é dado a ver. Então, é correcto afirmar que a campanha já começou do ponto de vista prático,  mas não do ponto de vista formal, tendo em conta os movimentos feitos pelos principais _players_  do xadrez político eleitoral em Angola e pelo facto do presidente da república ainda não ter convocado as eleições, conforme plasmado na  constitucional.

No entanto, a gestão e a postura dos partidos políticos neste período poderão definir o curso do processo eleitoral. Daí é importante que os partidos adoptem uma postura cívica, ordeira e patriótica que seja transmissível  aos militantes, amigos e simpatizantes, no respeito pela diferença das ideias, das ideologias políticas que norteiam os pilares dos partidos.

É expectável que se registe neste período acto de urbanidade e respeito da accão política de cada partido político, no sentido de não propiciar a intolerância política, que pode resvalar em actos de violência e pôr em causa a estabilidade política,  bem como o estado de direito e democrático. Pelo que tudo indica, o país vivenciará uma competição política complexa e bastante reinada pelas principais forças políticas, onde a organização, a capacidade de material de propaganda, o _marketing_ político e a comunicação de proximidade ao eleitorado farão a grande diferença na competição política.

Todavia, há, certamente, muito por absorver no plano do _marketing_ político e de práticas de campanha eleitoral, especialmente no âmbito da transmissão da informação, traduzida na passagem da “mensagem” aos eleitores, militantes, simpatizantes e amigos dos referidos partidos, ou seja, passar a “informação política” de boca-a-boca; porta a porta; bairro a bairro; quarteirão a quarteirão; rua a rua; comuna a  comuna; município a município e de província a província, conforme observado no livro “As Eleições em Angola — de 1992 até aos nossos dias”, de autoria de Osvaldo Mboco.

Por: Osvaldo Mboco

Continue Reading
Click to comment

Leave a Reply

O seu endereço de email não será publicado.

Colunistas

© 2017 - 2022 Todos os direitos reservados a Correio Kianda. | Este material não pode ser publicado, transmitido por broadcast, reescrito ou redistribuído sem prévia autorização.
Ficha Técnica - Estatuto Editorial RGPD