Connect with us

Economia

Acções do Credit Suisse abriram hoje a afundar mais de 60%

Published

on

As acções do Credit Suisse abriram a afundar mais de 60% esta segunda-feira, depois de o UBS ter anunciado que vai comprar o banco. Há momentos, o Credit Suisse descia 61% em bolsa, de acordo com o Investing.

O grupo bancário suíço UBS vai comprar o Credit Suisse, anunciou no domingo o presidente da Suíça, Alain Berset, considerando que esta é melhor forma de “restaurar a confiança”.

Também o UBS abriu a desvalorizar 14%, de acordo com a CNBC.

As principais bolsas europeias acompanham a tendência e abriram em baixa, após a aquisição, que não apaga os receios sobre o sector bancário.

A solução “não é apenas decisiva para a Suíça […], mas para a estabilidade do sistema financeiro” mundial, afirmou Berset, em declarações à imprensa, na presença dos presidentes dos dois bancos, Colm Kelleher, do UBS, e Axel Lehmann, do Credit Suisse.

A ministra das Finanças suíça, Karin Keller-Sutter, declarou que a falência do Credit Suisse poderia provocar “danos económicos irreparáveis”.

“Por essa razão, a Suíça deve assumir responsabilidades além de suas próprias fronteiras”, acrescentou a ministra.

A transacção terá um valor de 3.000 milhões de francos suíços (3,02 mil milhões de euros), que serão pagos em acções UBS, ou seja, com um valor de 0,76 francos por ação do Credit Suisse, que valia 1,86 francos suíços no encerramento do mercado na sexta-feira.

Em comunicado, o Credit Suisse adiantou que foi informado pelo supervisor financeiro suiço FINMA que este determinou que o capital ‘Additional Tier 1’ do banco, derivado de obrigações subordinadas denominadas ‘Tier 1 Capital Notes’, no valor nominal agregado de aproximadamente CHF 16 mil milhões de francos suíços (16,18 mil milhões de euros), será reduzido para valor zero.

Com agências internacionais