Connect with us

Politica

Aberto concurso para gestão público-privada do aterro sanitário de Luanda

Published

on

Aterro Sanitário dos Mulenvos

Foi lançado nesta segunda-feira, 29, o concurso público internacional para a gestão do Aterro Sanitário de Luanda, numa acção conjunta entre os ministérios da Economia e Planeamento, das Finanças, da Cultura, Turismo e Ambiente e o Governo Provincial de Luanda, para mais de 20 empresas, entre nacionais e estrangeiras, que se mostraram interessadas.

O concurso público internacional anunciado serve para a concessão da requalificação e gestão do aterro sanitário dos Mulenvos, em Luanda, em regime de parceria público-privada.

O ministro da Economia e Planeamento, Sérgio dos Santos, disse que o objectivo é “requalificar e transformar (os Mulenvos) num Centro de Valorização de Resíduos. Todos investidores nacionais e estrangeiros interessados podem participar nos procedimentos do concurso que será lançado na plataforma electrónica do Serviço Nacional de Contratação Pública, a partir do dia 30 de Abril de 2021”.

Um estudo realizado pelo MEP estima que na Província de Luanda se produza cerca de 3.3 milhões de toneladas de resíduos, por ano. 45% dessa produção tem potencial de reutilização como matéria-prima para a indústria, 35% tem potencial para reutilização como fertilizantes, e os restantes 20% poderiam ser utilizados na produção de energia.

Sérgio dos Santos, sublinhou que essa concessão abre portas para outras oportunidades para empresários, empreendedores ou cooperativas, que queiram abraçar o negócios da fileira de valorização de resíduos, em Luanda, com o financiamento do FACRA.

“A segunda oportunidade de investimento é o desenvolvimento de negócios da fileira produtiva de valorização de resíduos sólidos na Província de Luanda. Todos os interessados que possuam projectos de recolha diferenciada de resíduos, porta-a-porta, ou em ecopontos, ou projectos de armazenagem, de transporte, de pré-processamento ou processamento de resíduos, podem remeter propostas de parceria em regime de capital de risco ao FACRA – Fundo Activo de Capital de Risco. Este convite está aberto a partir de hoje e ficamos disponíveis até ao dia 30 de Maio de 2021 para receber manifestações de interesse”, anunciou o ministro.

O Ministério da Economia e Planeamento quer desta forma dinamizar a economia circular em Luanda, por isso, apela aos empresários a aderirem ao projecto do Fundo Activo de Capital de Risco Angolano que está disponível para financiar a actualização tecnológica de indústrias que usem matérias primas de origem de resíduos da província de Luanda.

“Os interessados podem remeter os seus pedidos de apoio ao financiamento de inovações tecnológicas ou de compras de matérias-primas ao FACRA – Fundo Activo de Capital de Risco Angolano, este convite está aberto a partir de hoje e ficamos disponíveis até dia 30 de Maio de 2021 para receber manifestações de interesse”, rematou Sérgio dos Santos.

Além do ministro da Cultura, Turismo e Ambiente, Jomo Fortunato, e da governadora da Província de Luanda, Joana Lina, assistiram ao acto de lançamento do concurso, empresários de Angola, do Japão, Alemanha, Estados Unidos da América, China, Singapura, Índia, Bélgica, Franca, Espanha, Inglaterra, Austrália e Reino Unido.

A lista de empresas que confirmaram a pretensão de entrar para a corrida é composta por 23 empresas nacionais e estrangeiras.

Colunistas