Connect with us

Sociedade

“A ideia era guardar”, diz coordenador de aldeia detido por vandalização de postos de iluminação

Published

on

O coordenador de uma aldeia, na província de Cabinda, está detido desde esta última quinta-feira, acusado de vandalizar postos de iluminação pública.

Trata-se do coordenador da aldeia do Chiboto, que foi detido por ter removido os postos de iluminação pública na praça da aldeia, colocados para momentos de lazer, pela administração municipal.

Segundo o porta-voz do SIC em Cabinda, Rodrigues Ambrósio, “o cidadão foi detido em flagrante delito, quando foi encontrado na posse de 12 postos do tipo metálicos e cinco painéis dólares, meios esses que pertencem à administração municipal de Cabinda […] o referido cidadão foi tirando os postes na zona do Rio, onde a Administração municipal tinha preparado aquele local como lazer do convívio dos munícipes daquela área, é que com pretextos de que poderia iluminar a zona do campo onde também os jovens da mesma área têm praticado alguma actividade desportiva”, referiu.

O porta voz do SIC avançou ainda que à data dos factos, o acusado já se encontrava, há pelo menos dois dias, em posse dos meios e a denúncia chegou ao Serviço de Investigação Criminal por meio de denúncia da própria administração municipal.

Entretanto, o acusado presente em conferência de imprensa, defendeu-se, apresentando a sua versão sobre os factos.

“Eu, na qualidade de ser coordenador, o povo vinha para poder me informar que os postos que lá foram colocados pela administração já estavam a ser vandalizados […] e eu tive que delegar uma equipa da juventude para poder remover os postos de lá até a minha residência”, disse.

Quando questionado das motivações respondeu que “a ideia era para guardar. Mandei o meu secretário para elaborar um documento e este documento está sendo elaborado e vai ser encaminhado até na administração municipal.

Por sua vez, o administrador municipal adjunto para área técnica, Luís Avelino Nhabe confirmou os actos de vandalização de infraestrutura ligadas ao sector da electricidade.

“Há coisa de duas semanas, tomamos conhecimento da vandalização no troço na estrada Xinga/Xiaje até Fútila”, onde todo o material eléctrico foi vandalizado, a ponto de deixar o bairro sem iluminação.