Connect with us

Sociedade

“A ética é um pilar essencial na comunicação” – José Cuato

Published

on

Foi com esta frase que o Director Nacional de Publicidade, José Matuta Cuato, começou a sua aula magna no primeiro encontro de Marketing Digital Angola 2024, no Hotel de Convenções de Talatona, em Luanda, quando abordou o tema “Marketing Digital e a ética”, numa promoção do Market Inteligence Research Angola (MIRA).

Aquele responsável recorreu ao especialista Mário Portela, para dizer que “nem tudo que eu quero posso, nem tudo que eu posso devo e nem tudo que eu devo posso”, chamando a responsabilidade de todos no sentido de evitar a poluição do espaço público que poderá prejudicar a todos no futuro.

José Cuato aproveitou a ocasião para deixar mensagem aos criadores de conteúdos, afirmando que o Estado não quer limitar liberdade de criação, mas evitar asfixia do Estado, através da auto-regulação, em que o Estado e os privados ditam regras de actuação do marketing no mercado nacional.

Chamou atenção aos influenciadores digitais, para o limite na produção dos seus conteúdos, respeitando o princípio da identificabilidade.

Para Cuato, sempre que um indivíduo pretender apresentar uma publicidade durante a sua comunicação deve antes identificar, para o cumprimento do princípio ético.

José Cuato disse que algumas publicidades veiculadas em diversos meios, ferem gravemente os princípios éticos.

Olhou também para os jogos de apostas, aos quais muitos jovens recorrem alegadamente para mudar a sua condição social. O Director Nacional da Publicidade considerou de perigosa essa crença e com riscos de criação de vícios para os jovens que assim pensam. Chamou atenção para o tipo e a forma de comunicação usada pelas empresas responsáveis destes jogos de apostas.

“O caminho para mudar de vida, é estudar, formar-se, ter um emprego e ganhar um salário”, sublinhou, José Cuato, contrariando as pretensões dos detentores das empresas de aposta desportiva.

“Hoje eu estou preocupado com os jovens que depositam o seu futuro nos Net. Nós não podemos vender o sonho nas pessoas, de que se jogar vai mudar a sua vida”, disse.

Sobre o espaço digital, o responsável disse que alguns entes têm estado a romper os princípios éticos, citando o exemplo, uma determinada entidade que ao anunciar o seu produto exibe e denigre a marca concorrente.

“Isso é uma responsabilidade de todos”, disse referindo-se ao cumprimento dos princípios éticos na comunicação digital.