Connect with us

Educação Financeira

A droga como fonte de destruição de uma sociedade e do seu património

Published

on

A droga como fonte de destruição de uma sociedade e do seu património.

Nas próximas semanas vou focar em adições, vícios que geralmente conhecemos. Vícios que são estão instalados no mundo inteiro e em Angola não é excepção. Estou a falar de uso, consumo de drogas, vício de compras, de jogos, álcool, prostituição e medicação. Serão semanas muito informativas e pedagógicas.

Se considerar que o problema das drogas é um problema dos outros, então está enganado(a)! O problema do uso e consumo de drogas (não tocarei no assunto do grande tráfico de drogas) é algo milenar, mas nos últimos 200 anos no mundo, as drogas tornaram-se mais químicas e menos naturais, mais potentes nos efeitos psicológicos e físicos, que chegam a mais pontos do planeta e as organizações que estão por detrás da cultura, produção e distribuição das drogas têm poder administrativo, financeiro, patrimonial, militar que nunca se viu na História da humanidade.

Há drogas de topo o tipo e efeitos no corpo humano.

Há drogas para todos os tipos de sociedade e situação financeira, mas todas, mas todas sem excepção destroem a vida das pessoas, das famílias, e por conseguinte, de sociedades. As drogas que têm poder de viciar psicologica e fisicamente leva a que o consumo de um dada dose com o tempo se torne insuficiente para manter os mesmos efeitos do passado no utilizador de drogas.

Como as drogas são compradas em situações ilegais, porque as drogas são ilegais, as pessoas viciadas em drogas têm que as comprar às escondidas, em situações que não protegem quem as compra, a «qualidade» do produto que estão a comprar, leva que essas pessoas têm que ter dinheiro e cada vez mais dinheiro (na lógica de de ter que comprar maiores doses para manter os mesmos efeitos), logo toxicodependentes (pessoas viciadas em drogas) têm muitas vezes:

– Roubar dentro de casa, os pais e vender os bens ou com o dinheiro comprar as suas doses diárias;

– Roubar na rua, bens públicos e assaltar pessoas também nas ruas;
– Assaltar estabelecimentos comerciais;

– Trocar droga pelo serviço de ser pequeno traficante;

– Prostituição em troca de droga.

Como se pode constatar, o consumo de drogas além de atirar os toxicodependentes para a «marginalidade da vida», isto é, viver na rua, pois as famílias não aguentam o seu familiar a destruir-se, sem querer tratar-se e sair da vida da droga, vê essa pessoa como alguém que subtrai bens à família para vender.

Os efeitos de falta de consumo de drogas, ou seja, abstinência de consumo leva a que o(a) toxicodependente tenha reações corporais e psicológicas que metem medo a qualquer outro ser humano que testemunhe essa situação, como febres altas, dores no corpo insuportáveis, insónia, suores frios, etc. Estes efeitos terminam com o consumo de drogas, as mesmas que provocam a falta de consumo…

Se os jovens são mais propensos para o consumo derivado à sua idade de curiosidade, de experimentar novas substâncias como o álcool, tabaco, etc, por via do meio/contexto em que alguns dos jovens vivem e convivem, pode ser o ambiente propício para experimentar a primeira vez e daí não conseguir sair a tempo e em vida…

Aos jovens, aconselho:

– Não experimentem drogas. Não tenham a tentação de consumir coisas que não conheçam. Nem que seja dado…

– Vejam as vossas companhias. “Diz quem és, diz-me com quem andas…”
– Ajude quem está a entrar na vida das drogas ou quem já está… as igrejas são locais que podem e devem disponibilizar-se para começar um novo «caminho» dos toxicodependentes. Além das igrejas, pesquise na sua zona Centros de Ajuda. Por exemplo, em Luanda há um centro junto à zona do “Rocha Padaria”.

– Se tem uma situação familiar nesta situação, leia os dois pontos acima. Não vire as costas ao seu familiar.

As drogas também toca no assunto de dinheiro/educação financeira. Como pude escrever, as drogas fazem gastar e perder património e poupanças. Há famílias sem nada, pobres em todos os sentidos por haver familiares na droga. Há ainda famílias com os seus familiares presos e muitas outras com membros da sua família nos cemitérios, muitos deles por que morreram de overdoses (excesso de droga no corpo e com isso houve um excesso de químicos no sangue).

Eduque os seus filhos, sobrinhos, netos para se manterem longe das drogas, de quem consome e de quem vende.

Bom mês de Junho!

Mês das crianças e jovens e estes livres de drogas.