Conecte-se agora

Opinião

A culpa é do Savimbi?

Olivio N'kilumbo

Publicados

on

a culpa é do savimbi? - olivio - A culpa é do Savimbi?

Sou angolano e por isso é normal que, nutra simpatias por todos os partidos políticos representantes do povo angolano na Assembleia da República, a casa da Democracia angolana. Também destaco que pelas minhas andanças da vida por 4 anosfui militante do “glorioso”, foi uma experiência e não mearrependo, mas não estou disposto a repeti-la. Agora sou militante do conhecimento e tal como disse o Edson Vieira Dias Neto, o meu Partido é o meu País. Nas minhas pesquisas, constato que, os partidos políticos em Angola, hoje quase pouco ou mesmo nada mais representam os interesses dos cidadãos, por motivos vários, e porque os dois mais relevantes (MPLA E UNITA) com realce para o MPLA, são das instituições que mais levaram este país ao descredito. Fizeram guerra, mataram os mais ilustres e nobres filhos desta Terra Sagrada e Real um dia governada por Poderosos Reis e Rainhas, de uma região que não se chamava Angola e, que é parte dos mais brilhantes e incomparáveis períodos da história da África Negra, quando a África mandava o Mundo tal como escreveu Robin Walter no célebre livro When We Ruled.

A UNITA do Dr. Savimbi fundada em 1966 é um dos partidos que possui na sua génese raízes endógenas muito fortes, e daí a suagrande aceitação nacional e “credibilidade”. Para uns, por uma questão de geografia e para outros por ser assim que se fundaram os partidos em África (base étnica e linguísta), a UNITA possui grande influência no planalto central bem como dentro do maior grupo étnico linguístico de Angola. A Nação e o valor dos reinos Ovimbundu, o peso das grandes famílias aristocráticas da região, bem como a disciplina imposta um pouco pela Igreja Protestante, sem esquecer as influências externas com realce para a Zâmbia e Namíbia, fazem da UNITA um dos mais sérios e consistentes projectos políticos dos nossos tempos. Este texto não trás nada de novo, é apenas mais uma reflexão de um cidadão atento e preocupado com os valores que a conquista do Bem Comum irão trazer para o país. Como Politólogo, pesquiso sobre a política nacional e internacional e, nos últimos tempos, venho dando destaque ao MPLA e a UNITA, contendores e responsáveis dos mais relevantes factos políticos dos últimos 30 anos. Voltando a UNITA, Savimbi soube a sua maneira manter o partido em sua volta (facto que prejudicou o projecto), era o líder da revolução definida no espirito do projecto de Muangai “o ainda desconhecido por muitos”. Manter a guerrilha custou sangue, suor e lagrimas de muitos inocentes e de dignos seguidores do projecto UNITA que, por causa da ira e febre do poder pagaram com a vida os insucessos desta legítima vontade de ser poder do conhecido Dr. Savimbi, homem culto e extremamente competente e que sabia fazer amigos entre os inimigos, num mundo ainda detido pela bipolarização, Savimbi e a UNITA já navegavam nestes mares por via do charme diplomático e excelência dos seus quadros, formados antes e sobretudo na Jamba (Mata) e posteriormente nas melhores universidades dos dois mundos na altura.

Déspota, Sanguinário, Homem de Guerra, Assassino, Traidor enfim são muitos os adjectivos. A verdade é que, Dr. Savimbi de facto cometeu graves crimes que, lhe valem estes adjectivos e, morreu por aquilo que acreditada. Todos perdemos pessoas próximas neste conflito, e aos que de forma mais directa viram seus parentes serem mortos pela fúria das derrotas e excessos do Jonas, têm uma via “expressa” para protestar contra a UNITA e o seu antigo líder. Saúdo o trabalho da Associação das Vítimas da Jamba, grande trabalho de Eduardo Jonatão Chingunji o Dinho (membro de uma das mais cultas e influentes famílias do Planalto, os Chingunji. Do Professor Estevão Jonatão Chingunji o Patriarca), dos depoimentos postos a circular nas redes sociais pelos sobreviventes dos horrores vividos na Jamba e não só, existem outras iniciativas que visam dignificar as vítimas de Savimbi e da UNITA nos vários contextos da história recente de Angola. Agora e não menos importante é dizer que enquanto analista, a política é um jogo e neste jogo ganham aqueles que melhor interpretam os sinais e, portanto, o MPLA soube em muitos momentos ser eficaz e capitalizou bastante com os erros do adversário, num momento em que a linguagem política era a guerra e, a diplomacia política a arma externa. Aqui o MPLA foi melhor, soube fazer e tirou bastantes vantagens disso mesmo tendo sido menos influente no ocidente comparativamente ao adversário. A comunicação foi, ainda é e sempre será uma arma extremamente poderosa e, foi a mais utilizada para afundar a imagem da UNITA durante o conflito, nos últimos dias de Savimbi e nos últimos 13 anos do pôs conflito. Olha que a UNITA chegou mesmo a ser culpada até da constipação dos filhos dos dirigentes do MPLA. Risos. Brincadeira. A informação que ficou é que durante o conflito só as balas da UNITA é que matavam, e as do governo se transformavam em “açúcar e mel” enfim, coisas do poder da manipulação. O conflito armado durou 27 anos destruiu infraestruturas sociais e económicas, que custaram como saldo negativo aos angolanos uns totais de 20 mil milhões de USD (discurso de JES em mais um ano de comemoração do dia da paz). No entanto, vamos as perguntas: Afinal ao longo destes 17 anos de Paz, de quem é a culpa da má gestão dos mais de 600 mil milhões de USD fruto do Bum do Petróleo assinalados no período de 2004 a 2014? Período de maior crescimento económico da história de Angola independente. De quem é a culpa da morte por malária das mais de 3 mil crianças por ano, colocando o nosso país no top dos piores lugares para ser Criança no Mundo? De quem é a culpa dos milhares de milhões de USD desviados para o exterior por políticos e que custam aos angolanos a falta de empregos, de habitações condignas, falta de estradas (com iluminação, esgoto, asfalto e sinalização), falta de hospitais, de Escolas, de Transportes Públicos, de Água Potável (que agora tem cor), de Segurança Pública, da falta de Alimentos mesmo para os que vivem no campo (sem esquecer que, mais de 60% do país possui terras aráveis), de quem é a culpa ahm? Quem comanda o Lóbi da importação é o Savimbi? A falta do

fornecimento de energia elétrica as populações de quem é a culpa? De quem é a culpa pela falta de oportunidade para os jovens o maior activo económico e político do país? A má gestão do Fundo Soberano de Angola será também culpa do Jonas e da sua UNITA? De 2002 a 2017 foram gastos 150 mil milhões de USD em infraestruturas (dados do CEIC – Universidade Católica), onde estão estas infraestruturas? Terá o Savimbi saído do seu túmulo e as destruiu? Afinal quem instituiu a Acumulação Primitiva do Capital, defendida no parlamento pelo então Presidente da República, como modelo económico em Angola foi o Savimbi? Eu, não sou da UNITA, reitero, sou antes e sobre tudo um angolano atento e, comprometido em ver este país desenvolvido, por isso, devo ser um dos arautos pela criação de uma consciência política apurada, criadora de um espirito crítico nacional, capaz de promover mudanças significativas visando a criação do Bem Comum, na base da justiça social, distributiva e, de uma Angola digna para todos sem distinção e não apenas para alguns angolanos de ocasião como disse (Ismael Mateus).

Os discursos proferidos por Savimbi a 30 anos, hoje são tão atuais na era das tecnologias e da inteligência artificial, tudo porque quem governa não tem competência para fazer melhor.

O “Show” dado pela UNITA nas merecidas exéquias fúnebres do Dr. Savimbi não apagam os seus pecados e / acções criminosas que por ele foram feitas, mas é a mais inequívoca amostra de que a UNITA tem raízes e, é um projecto político sério. O facto é que,

hoje o cidadão Jonas Malheiro Savimbi “ressuscitou” e, é parte da história moderna de Angola por isso, é que, os jovens com idades compreendidas entre 18, 20, 23 e 24 anos, querem saber quem foi ele. As vezes penso, que derrotaram o Savimbi e não a UNITA. Ou é o inverso? Anyway!

Se dependesse da poderosa máquina de propaganda do MPLA e, este tivesse governado bem, Savimbi ficaria só nos livros de história.

Viva angola dos angolanos!

Continue Lendo
Publicidade
1 Comentário

1 Comentário

  1. Avatar

    herique domingos

    06/06/2019 às 7:37 pm

    muito bom

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Publicidade

Colunistas

Ana Margoso
Ana Margoso (14)

Jornalista

António Sacuvaia
António Sacuvaia (239)

Editor

Diavita Alexandre Jorge
Diavita Alexandre Jorge (12)

Politologo

Ladislau Neves Francisco
Ladislau Neves Francisco (13)

Politólogo - Comunicólogo - Msc. Finanças

Lazarino Poulson
Lazarino Poulson (1)

Jurista e Especialista em Direito Administrativo

Olivio N'kilumbo
Olivio N'kilumbo (14)

Politólogo

Vasco da Gama
Vasco da Gama (60)

Jornalista

Victor Hugo Mendes
Victor Hugo Mendes (9)

Jornalista e Escritor

Walter Ferreira
Walter Ferreira (7)

Coordenador da Plataforma Juvenil para a Cidadania

Publicação