" />
Conecte-se agora

Mundo

São Tomé: Governo liderado por Jorge Bom Jesus toma hoje posse

O novo Governo de São Tomé e Príncipe, chefiado pelo líder do MLSTP-PSD, segundo partido mais votado nas legislativas, toma hoje posse, após a indigitação de Jorge Bom Jesus para o cargo de primeiro-ministro.

Redação

Publicados

on

- Jorge Bom Jesus - São Tomé: Governo liderado por Jorge Bom Jesus toma hoje posse

A cerimónia de posse do XVII Governo Constitucional deverá começar pelas 11:00 (hora local, menos uma hora em Lisboa) no Palácio do Povo, sede da Presidência da República, na capital, São Tomé.

Na quinta-feira, dia 29, o Presidente são-tomense, Evaristo Carvalho, nomeou Jorge Bom Jesus para chefiar o Governo de São Tomé e Príncipe, justificando a decisão com “a atual correlação de forças” no parlamento e “os superiores interesses” do país.

O Ação Democrática Independente (ADI), que teve maioria absoluta nas legislativas de 2014 e liderou o Governo cessante, venceu as eleições legislativas de 07 de outubro com maioria simples – 25 dos 55 deputados da Assembleia Nacional – e reclamou o direito constitucional de formar governo.
O Movimento de Libertação de São Tomé e Príncipe – Partido Social Democrata (MLSTP-PSD) foi o segundo partido mais votado, elegendo 23 deputados, e assinou com a coligação PCD-UDD-MDFM, que tem cinco assentos parlamentares, um acordo de incidência parlamentar e com fins governativos.

As duas forças reclamam ter uma maioria absoluta (28 deputados), que garante a sustentabilidade parlamentar necessária para formar executivo, e tinham prometido fazer cair no parlamento um eventual executivo no ADI.

A indigitação do líder do MLSTP-PSD para formar governo surgiu pouco depois de o partido Ação Democrática Independente (ADI), vencedor nas eleições legislativas de 07 de outubro, ter apresentado ao Presidente o nome de Álvaro Santiago, antigo ministro da Educação e ex-vice-governador do Banco Central de São Tomé e Príncipe (BCSTP) para o cargo de primeiro-ministro.

A decisão da comissão política do ADI ocorreu depois de, na semana anterior, o ministro da Educação do governo cessante, Olinto Daio, ter recusado avançar, como a direção do ADI tinha proposto.

A posição daquele órgão do ADI levou o líder do partido e primeiro-ministro cessante, Patrice Trovoada, a anunciar, nesse mesmo dia, a suspensão das funções como presidente daquela força política, por considerar que Álvaro Santiago não tem o perfil necessário para alcançar um governo de base alargada ou de unidade nacional, como tem defendido desde as eleições.

Nestas legislativas, o Movimento Independente de Caué elegeu também dois deputados e já prometeu “apoiar o partido que tem maioria no parlamento”.

No dia 22, a Assembleia Nacional foi empossada, tendo sido eleito como presidente Delfim Neves, vice-presidente do Partido de Convergência Democrática (PCD), um dos partidos da coligação que elegeu cinco deputados.

DN

Continue Lendo
Publicidade
Clique para comentar

Deixe um comentário

avatar
  Subscribe  
Notify of
Publicidade

Autores

Ana Margoso
Ana Margoso (5)

Jornalista

António Sacuvaia
António Sacuvaia (142)

Editor

Ladislau Neves Francisco
Ladislau Neves Francisco (7)

Politólogo - Comunicólogo - Msc. Finanças

Olivio N'kilumbo
Olivio N'kilumbo (8)

Politólogo

Vasco da Gama
Vasco da Gama (33)

Jornalista

Victor Hugo Mendes
Victor Hugo Mendes (9)

Jornalista e Escritor

Walter Ferreira
Walter Ferreira (4)

Coordenador da Plataforma Juvenil para a Cidadania

Publicação