" />
Conecte-se agora

Bastidores

O poema que a jovem Ulika pretendia declamar para JLO

Redação

Publicados

on

-   rf   do 27 de maio - O poema que a jovem Ulika pretendia declamar para JLO

A Sirene Triste

Aqui onde vidas se minguam
A morte é um refúgio
Onde tudo subsiste
Pelo amor do povo!…

Quando nasce a aurora
A sirene chama os moribundos
Lançados para a morte
Obrigado a enterrar a enxada!…

Cada enxada que se bate
Uma vida ainda subsiste
Uma vida que fenece lentamente
Desta juventude sombria!…

Aqui onde o sangue corre
Clamando justiça
Onde a enxada se enterra
A terra se recusa a ser ferida
Para não perturbar o sono
D´aqueles que dormem eternamente!…
Exausta de sofrimento
A terra chora
Chora em memória dos seus filhos!…

S. Nicolau 5/10/1973

ULIKA

Continue Lendo
Publicidade
Clique para comentar

Deixe um comentário

avatar
  Subscribe  
Notify of
Publicidade

Autores

Ana Margoso
Ana Margoso (5)

Jornalista

António Sacuvaia
António Sacuvaia (142)

Editor

Ladislau Neves Francisco
Ladislau Neves Francisco (7)

Politólogo - Comunicólogo - Msc. Finanças

Olivio N'kilumbo
Olivio N'kilumbo (8)

Politólogo

Vasco da Gama
Vasco da Gama (33)

Jornalista

Victor Hugo Mendes
Victor Hugo Mendes (9)

Jornalista e Escritor

Walter Ferreira
Walter Ferreira (4)

Coordenador da Plataforma Juvenil para a Cidadania

Publicação