" />
Conecte-se agora

O acto de destituição foi realizado pela Assembleia-geral da Associação na sede da Ascofa, localizada no distrito urbano do Rangel, onde foi entregue um comunicado de imprensa, acusando o então presidente de diversos crimes.

Segundo o documento, pesam sobre o ex-responsável, os crimes de apropriação de bens provenientes do Instituto de Reintegração Social dos Ex-militares (IRSEM), para apoiar os mesmos e suas respectivas famílias, o de apresentação de documentos e inserção de dados estatísticos falsos, dos membros que integram a referida colectividade.

Fazem parte da acusação ainda, a não apresentação de relatórios de prestação de contas referentes aos pagamentos das quotas desde a criação da Ascofa, falsificação das contas bancária da agremiação, bem como de apropriação da dotação orçamental proveniente do ministério dos Antigos Combatentes e Veteranos da Pátria destinados aos pagamentos de subsídios dos ex-miltares.

Consta também dos motivos que levou a destituição de António Fernando “Samora” o roubo de sete viaturas designadas a apoiar os seus associados, atribuição de residências á pessoas próximas de si em projecto habitacional disposto aos membros, o desvio das viaturas que constituíam a cooperativa de táxi, tal como a sua venda na República Democrática do Congo.

Entre os desvios feitos segundo a missiva, regista-se ainda, seis toneladas de produtos alimentícios diversos, atribuídos trimestralmente pela base logística das Forças Armadas Angolanas, 80 milhões de kwanzas que serviria para compra de kits agrícolas e industriais, bem como de ostentação indevida da patente de brigadeiro, enquanto dados da Direcção Principal de Pessoal de Quadros das Forças Armadas atestam que António Fernando é capitão com o número de identificação pessoal 89403920 ordem 817/2011.

Em declarações à imprensa, o coordenador adjunto da comissão de gestão, Caetano Marcolino, explica que vão trabalhar, para que até nos finais de Janeiro do próximo ano, possa-se criar condições para a realização da assembleia de renovação de mandato.

para implementação dos projectos programados que visam dignificar a vida dos ex-militares, Caetano Marcolino disse que pretende trabalhar com todos os membros, até as eleições proporcionando uma direcção inclusiva.

Será coordenador até o pleito eleitoral o membro fundador da Ascofa Novais Caueto.

A Ascofa, fundada a 1 de Agosto de 2001, conta actualmente com 86 mil associados.

C/ Angop

Continue Lendo
Publicidade
Clique para comentar

Deixe um comentário

avatar
  Subscribe  
Notify of