" />
Conecte-se agora

A antiga dama-de-ferro dos Serviços de Migração e Estrangeiros (SME) Quina da Silva, regressa “em grande” aos quadros do ministério do Interior, ao ser nomeada hoje, em Luanda, conselheira do ministro Ângelo Tavares.

Maria Joaquina da Silva que fez uma longa travessia no deserto, depois de o Tribunal de Luanda a ter condenado há oito anos de prisão maior, isso em 2010, tendo esta visto a sua pena reduzida há quatro anos de prisão maior, depois da sua advogada, Ana Paula Godinho, ter recorrido ao Tribunal Constitucional.

A condenação da toda poderosa então directora do SME aconteceu depois do ex-presidente da República ter mandado instaurar uma sindicância que acabou por produzir elementos que comprometiam Quina da Silva e mais outras seis pessoas, todas ligadas ao topo dos serviços de Migração. Acusados de crimes de peculato, falsificação de documentos e burla por defraudação.

Entretanto, segundo fontes do Correio da Kianda, a reabilitação de Quina da Silva passou também pelo facto desta manter boas relações com a então primeira-dama, Ana Paula dos Santos, de quem era comadre, e também com Ângelo da Vegas Tavares, o ministro, os dois descendentes da Ilha de Cabo Verde, nascidos em Benguela.

De Ana Paula dos Santos, Quina da Silva, era madrinha de uma sua irmã, conhecida por Carmen, sendo mesmo a casa desta uma das frequentadas pela então primeira.