" />
Conecte-se agora

O discurso proferido pelo presidente da UNITA, Isaías Samakuva, na abertura do quarto Congresso Ordinário da Juventude Unida e Revolucionaria de Angola – JURA, está a ser encarada como sendo atribuição de “cartão vermelho” ao líder cessante, Aly Mango

Para Samakuva, a JURA, deve ir as rua e trabalhar com jovens, algo que o Secretario cessante, Aly Mango, não fez durante o seu primeiro mandato.

“Queremos ver a JURA nas ruas, fora dos Gabinetes, trabalhando ativamente no desenvolvimento da consciência cívica, social, comunitária dos cidadãos para os fazer participar mais na resolução dos problemas sociais.” Frisou líder do Galo Negro, durante o seu discurso de abertura.

Informações apuradas pelo Correio da Kianda junto de alguns delegados ao quarto congresso da JURA, dizem que, Aly Mango, chegou a ponderar desistir da corrida a sua reeleição, após as criticas do Presidente da UNITA, a letargia que a JURA viveu durante o seu consulado.

“O discurso do Presidente Samakuva, caiu como balde de água fria para Aly Mango, tendo mesmo reunido com a sua staff, e ter ponderado desistir.” Referiu um dos delegados ao quarto Congresso.

O quarto Congresso Ordinario da JURA, elegeu este sábado, Agostinho Kamuango, para o cargo de secretário-geral , tendo diputado a segunda volta com o Secretario geral cessante, Aly Mango.

Ficaram na primeira volta, candidatos como Nelito Ekuikui Elsa Pataco (a única mulher entre os canditados), kafú Sabino e Oseias Chilemba.

Continue Lendo
Publicidade
Clique para comentar

Deixe um comentário

avatar
  Subscribe  
Notify of