" />
Conecte-se agora

Politica

Corrupção leva China a “chumbar” oito pedidos de Angola

Vasco da Gama

Publicados

on

- JLO CHINA - Corrupção leva China a “chumbar” oito pedidos de Angola

A recente visita de João Manuel Gonçalves Lourenço a China que visou, dentre outros assuntos, atrair financiamento, está a ser apontada pelos analistas económicos, fundamentalmente, como um dos primeiros fracassos da presidência angolana, na era JLO, no que a diplomacia economia diz respeito.

Embora João Lourenço tenha anunciado durante o discurso em que apresentou o Estado da nação, na Assembleia Nacional, a recepção de dois (2) mil milhões de dólares norte americanos, do Governo chinês, a ofensiva de milhões não atingiu, sequer, metade dos objectivos traçados, porquanto, segundo fontes do Correio da Kianda, o Governo da China terá “chumbado” boa parte dos projectos apresentados por Angola.

Não tornada pública, por questões de estratégia de comunicação, a informação do “chumbo” de oito dos nove projectos, é sinal de total desconfiança do gigante asiático sobre a forma como Angola gere a coisa pública, referem as nossas fontes.

A nossa reportagem sabe que João Lourenço levou na sua bagagem nove projectos para serem financiados pela China, nomeadamente: a conclusão da segunda fase do Centro Integrado de Segurança Pública, a Construção do novo Centro de Convenções e Hotel, a Reabilitação e apetrechamento do Sistema de Abastecimento de Águas de Luanda, a Construção do Aproveitamento Hidroeléctrico do Zenzo, a Ligação de Média e Alta tensão das províncias do Huambo, Huila e Namibe, a Requalificação do Troço Ferroviário Zenza-Cacuso, a Ligação Ferroviária Luacano – Jimbe que liga via Caminho-de-Ferro a província de Benguela a Zâmbia, a continuidade do Programa de Reabilitação de Infraestruturas Rodoviárias um pouco por todo o País e, finalmente, a Construção da Nova Base Naval da Marinha de Guerra das Forças Armadas Angolanas.

Destes projectos a China só aprovou aprovou e deverá apoiar apenas um único – o de Aproveitamento Hidroeléctrico do Zezo – num valor total de 600 milhões, em que, segundo a fonte que vimos citando, o fornecimento dos equipamentos está na responsabilidade do Governo da Alemanha, outro interessado em financiar o mesmo.

Um outro ponto que evidência o descontentamento da China relativamente aos investimentos feitos em Angola, tem a ver com o facto de exigir que dos 2 mil milhões de dólares disponibilizados, 1, 4 mil milhões, devem ser utilizados exclusivamente para o pagamento das dívidas que contraiu com às empresas chinesas que operam em Angola.

Refira-se, porém, que mesmo com a divulgação do montante contraído, os entendidos na matéria questionam por exemplo, o facto de até aqui não terem sido divulgados os números referentes à taxa de juro a aplicar nesta nova operação.

Publicidade

Autores

Ana Margoso
Ana Margoso (3)

Jornalista

António Sacuvaia
António Sacuvaia (123)

Editor

Diavita Alexandre Jorge
Diavita Alexandre Jorge (5)

Politologo

Ladislau Neves Francisco
Ladislau Neves Francisco (7)

Politólogo - Comunicólogo - Msc. Finanças

Olivio N'kilumbo
Olivio N'kilumbo (8)

Politólogo

Vasco da Gama
Vasco da Gama (30)

Jornalista

Victor Hugo Mendes
Victor Hugo Mendes (8)

Jornalista e Escritor

Walter Ferreira
Walter Ferreira (2)

Coordenador da Plataforma Juvenil para a Cidadania

Publicação

© 2016 - 2018 Todos os direitos reservados a Correio Kianda. | Este material não pode ser publicado, transmitido por broadcast, reescrito ou redistribuído sem prévia autorização.
Ficha Técnica - Estatuto Editorial RGPD